Arraiá

Uma festa repleta de músicas, danças e, como não poderia faltar, muita comida e animação de sobra. A Festa Junina é uma comemoração repleta de tradição e simbologias que, independente de qualquer religião, faz a alegria de todas as cidades do Brasil.

Você conhece a origem dessa festança?

No hemisfério norte, os povos medievais realizavam festas para comemorar o solstício de verão e a chegada do sol no mês de junho, que iluminava e fecundava a terra para o período das colheitas.

Como as celebrações sempre ocorriam no dia 24 de junho, dia de São João, a Igreja se apropriou das comemorações e deu a elas uma nova simbologia, que com o tempo foi difundida pelos portugueses e chegou ao Brasil.

Inicialmente, a festa não tinha os formatos que conhecemos hoje, mas com o passar dos anos a comida, a dança e até as músicas deixaram a Festa Junina cada vez mais com a cara do Brasil.

O arraiá pelo Brasil

Norte

No dia de São João ocorre o Festival de Parintins, uma grande festa que possui as raízes da Festa Junina com influências do Carnaval.

 

Nordeste

As festas mais tradicionais estão por lá:  a de Caruaru, em Pernambuco, e a de Campina Grande, na Paraíba, são marcadas pelos foliões que cantam e dançam pela cidade durante a comemoração.

 

Centro-oeste

As festas sertanejas embalam as noites dos participantes por lá.

 

Sudeste

No Sudeste, o mais comum são festas em escolas, clubes e igrejas, sempre com os quitutes e brincadeiras tradicionais.

 

Sul

O churrasco e o chimarrão, já tradicionais no Sul, também aparecem nesta época do ano, junto às danças e músicas da região.

 

Os símbolos dessa tradição

Fogos de artifício

Diz a lenda que os fogos são utilizados para acordar São João.

 

Balões

Antes de serem proibidos por lei devido ao risco de incêndios eram utilizados para indicar o início da festa. Hoje podem ser utilizados como decoração para sua festa.

 

Fogueira

São o ponto central da festa, onde a quadrilha geralmente se reúne.

 

Mastros dos santos

Três santos são homenageados no mês de junho: Santo Antônio no dia 13, São João, no dia 24, e São Pedro, no dia 29. Para celebrar os santos da festa os participantes erguem três mastros, um para cada santo.

 

Quadrilha

A quadrilha representa a vida no campo de uma forma bem descontraída.

 

Os quitutes da festa

Os quitutes mais deliciosos do arraiá são os feitos com milho, como canjica, curau, pamonha, pipoca e cuscuz, isto porque é no mês das festas que ocorre sua colheita. Mas o tradicional quentão e os doces de amendoim também não podem ficar de fora.

 

Músicas e danças

Nas festas tradicionais os participantes cantam músicas do repertório junino como “Cai, Cai, Balão”, “Capelinha de Melão”, e na hora da quadrilha “Caminho da Roça”.

No nordeste, os festeiros cantam e dançam músicas regionais como o xote e o baião, além das danças tradicionais como o samba de coco e o reisado.

As canções do Rei do Baião, Luiz Gonzaga, são as mais tocadas nas Festas Juninas brasileiras.

 

O que vestir

Para os meninos a tradicional camisa xadrez, a calça remendada e o chapéu de palha não podem faltar. Para completar o visual, alguns homens e crianças pintam bigodes, costeletas e até alguns dentes para entrar no clima caipira.

Para as meninas vestidos estampados, decorados com flores e fitas, além de um belo chapéu de palha, das pintinhas no rosto e de alguns dentes pintados de preto que sempre fazem parte da caracterização.

Fonte: HTTP://blogdalu.mazazineluiza.com.br/infografico-tudo-sobre-as-festas-juninas/20041/2013/07/